Para iniciar o trabalho é necessário seguir as orientações fornecidas pelos fabricantes dos materiais que serão utilizados e contratar um profissional capacitado. Compre 10% a mais de porcelanato para recortes e consertos futuros.



Verifique se todas as embalagens tem a mesma referência. Misture peças de todas as embalagens para melhorar o “efeito pedra”. A base deve estar limpo e seco Deve estar nivelado para garantir o encaixe perfeito das peças e rugosa para perfeita aderência. Se for lisa, picotá-la com uma talhadeira. Utilize argamassas industrializadas, aditivadas, tipo AClll recomendadas para assentamento de porcelanatos, produzidas conforme as Normas NBR 14081/98.

 

Evite a utilização de argamassas produzidas na obra. Siga rigorosamente as instruções da embalagem, em especial na proporção de cimento com água e no tempo de reação da mistura. Prepare a argamassa aos poucos a medida que for precisando. Nunca acrescente água a argamassa já preparada, nem utilize-a no dia seguinte. Ela perderá a propriedade de aderência.

 

Planeje a colocação das peças, espalhando-as sobre o contrapiso, procurando localizar os recortes nos locais mais escondidos. Planeje a posição das juntas na estrutura conforme identificado a seguir. O porcelanato retificado, pode ser assentado com junta mínima entre as peças, ou seja, apenas utilizar um impermeabilizante (silicone) entre uma peça e outra.

Todos os revestimentos independentes de serem assentados com juntas de separação ou não, necessitam de juntas de movimentação e ou periféricas. Juntas de movimentação: Devem ser realizadas nas seguintes condições: Em interiores, sempre que a área do piso for igual ou maior que 32 m² ou sempre que uma das medidas da área a ser revestida for maior que 8 m.

 

Em exteriores e em interiores expostos diretamente a insolação e/ou umidade, as juntas de movimentação devem ser executadas sempre que a área for igual ou maior que 20 m², ou sempre que uma das medidas da área a ser revestida for maior que 4 m. Juntas periféricas: Devem ser realizadas em todo o perímetro da área revestida e no encontro com colunas, vigas e saliências ou com outros tipos de revestimentos.

A junta deve aprofundar-se até a base, ou até a camada de impermeabilização quando existir, deixando uma largura de 5 a 10 mm, devendo ser preenchida com selante flexível. Juntas estruturais: Devem ser respeitadas em posição e largura, em toda a espessura do revestimento.

 

Remoção de manchas e manutenção:


O porcelanato é um tipo de cerâmica produzido com tecnologia muito avançada e com baixíssima absorção de água(0,05%). Se caracteriza pela facilidade de limpeza bastando, um pano úmido ou esponja e um detergente neutro. Deve-se evitar o uso de detergentes agressivos, ácidos ou soda cáustica, bem como escovas e produtos concentrados de amoníaco que atacam o esmalte das peças e seu rejuntamento.

No caso de Porcelanato polido recomenda-se a manutenção periódica com detergentes neutros, alcalinos ou à base de amônia, além do uso de água sanitária diluída. Não se recomenda a utilização de ceras ou ressaltadores de brilho, já que eles podem produzir efeitos não desejados na superfície do porcelanato.

Recomenda se alguns produtos específicos para cada tipo de mancha: Graxas e óleos: água quente e detergente alcalino; Tintas: removedor de tintas; Café: água sanitária ou saponáceo; Tinta de caneta: solvente orgânico (acetona, benzina); Cerveja ou vinho: detergente alcalino ou saponáceo com água sanitária; Azeites: álcool etílico. Betume: Acetona Vinho, Cerveja: Detergentes alcalinos